Archive for the ‘Cinema’ Category

“Sobre o uso de efeitos especiais” ou ainda “Aprende Spielberg”

7 Outubro, 2008

Muito fantástico o trecho do do filme Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, lançado em 1978, em que Billy Preston banca o próprio Sgt. Pepper enquanto canta Get Back (é, usaram músicas de outros discos na trilha).

O filme, produzido por Robert Stigwood e dirigido por Michael Schultz, traz no elenco Peter Frampton, Bee Gees, Alice Cooper e o estreante Steve Martin. George Harrison e Linda McCartney fazem uma pontinha também.

Frase de efeito: efeitos especiais só fazem sentido quando usados dessa maneira.

Cota para comerciais do Lynch no Brasil

3 Outubro, 2008

Não vou negar que gosto de alguns comerciais piadísticos calcados em insights não muito elaborados que dominam as propagandas da televisão brasileira. Esse aqui, por exemplo, me parece bastante competente para o tipo de produto. No entanto, queria que algum bom candidato propusesse cota para comerciais decentes, que fujam das piadas óbvias e que não sejam tão diretos na intenção de vender o que for preciso.

Tudo isso para dizer que gostaria de ver um comercial das Havaianas, da Petrobras, do governo da Bahia ou da Polar feito pelo David Lynch. O diretor mantém a (chamem do que quiser) loucura, a fantasia, o nonsense, o clima onírico e outros tantos elementos típicos de seus filmes nos comerciais que fez nos últimos anos.

A série de comerciais feitas para o lançamento do PlayStation 2 é fantástica. Além do vídeo aí em cima, não há como não achar muito legal esse, esse, esse e principalmente esse. Esse outro é meio ruim. Além desses, também é massa a proposta do comercial dos cigarros Parisienne, do Nissan Micra e dos perfumes Opium e Gucci by Gucci (esse com trilha sonora do Blondie e com a modelo brasileira Raquel Zimmermann).

Cinema oitentista comanda

26 Setembro, 2008

A Folha Online colocou no ar essa semana enquetes para os internautas escolherem os melhores filmes nas últimas cinco décadas. Os favoritos do público serão exibidos em dezembro – quando o caderno Ilustrada completa 50 anos – durante um ciclo de cinema. Sem complicar com as 50 obras pré-escolhidas pelos críticos do jornal, posso dizer com certeza que três dos cinco primeiros colocados até o momento não estariam na minha lista: Deus e o Diabo na Terra do Sol (1964), de Glauber Rocha; Blade Runner (1981), de Ridley Scott; e O Senhor dos Anéis (2001), de Peter Jackson.

Acho que a escolha mais complicada fica nos anos 80, entre Paris, Texas (1984), de Wim Wenders; Veludo Azul (1986), de David Lynch; e Não Matarás (1988), de Krzysztof Kieslowski. Seguem os links.

Cinema 1958 a 1969, Cinema 1970 a 1979, Cinema 1980 a 1989, Cinema 1990 a 1999 e Cinema 2000 a 2008.

Em breve, enquete do moderninho para escolher os melhores filmes em cinco categorias fundamentais.

Cinema + Pelé + bicicleta “arranjada” = Oscar

18 Setembro, 2008

Nunca vi filme que consiga fazer um jogo de futebol encenado parecer verdadeiro. Eu sei que os zagueiros do meu time também tiram a perna na hora da dividida, mas normalmente a atuação dos atores futebolistas é hilária. São 22 jogadores dispostos de forma aleatória no campo, sem tática, sem marcação, sem contato físico, sem lançamentos longos, sem nada que lembre uma disputa coerente.

John Huston – diretor de O Falcão Maltês, Moulin Rouge, Moby Dick e mais uma pá de coisas relevantes – encontrou uma forma peculiar de superar as dificuldades de encenar um jogo de futebol: chamou o Sylvester Stallone, o Michael Caine e o Pelé para atuar e, com isso, escancarou que o filme não tava ali para parecer de verdade. Acho que fez bem… quem se preocuparia em ver defeitos em um jogo que tem o Stallone de goleiro?

Em Fuga para a Vitória (Victory), de 1981, prisioneiros da II Guerra Mundial enfrentam jogadores profissionais da Alemanha nazista. Quem escreveu a baboseira toda devia ter fumado 1 kg de haxixe, já que os nazistas perderam o jogo depois de estarem vencendo por 4 a 0 (aqueles famosos momentos Disney difíceis de explicar). Mas sabe como é, filmes e comerciais que têm o Pelé dando uma bicicleta “arranjada” têm salvo-conduto e estão livres de qualquer crítica maior.

A obra conta ainda com a participação de vários jogadores “de verdade”, com destaque para o argentino campeão do mundo em 1978 Osvaldo Ardiles.

What the hell is this?

12 Agosto, 2008

Aproveitando que o diretor David Lynchripongueando aqui pelo Brasil, lembrei de procurar no You Tube a única coisa engraçada dele que lembro ter visto. The Cowboy and the Frenchman foi feito para a TV em 1988 e vale umas boas risadas, sobretudo na primeira parte aí em cima. Quem gostar pode ver a parte 2 e a parte 3 também. Mais informações aqui.

Wim Wenders no Santander

11 Agosto, 2008

Começa hoje o ciclo Wim Wenders no Santander Cultural. Na programação, clássicos e não-tão-clássicos do diretor, além do documentário ‘De um emigrante – Os primeiros anos de Wim Wenders’, de Marcel Wehn. Recomendadíssimo.

Agenda

8 Agosto, 2008

15ª Edição: Vão – Pequeno Espaço de Grandes Idéias

Nesse sábado tem mais uma edição do bazar Vão na Pó de Estrela. Dá uma olhada nos expositores (copiado do release):

La Coqueta: A marca possui uma proposta diferenciada. Cada peça é exclusiva, pois o cliente pode escolher um bottom personalizado ou aplicação para compor a roupa. Os bottons são feitos artesanalmente com materiais diversos como botões, retalhos de tecido, fitas, feltro, acrílico e resina. Além disso, a marca possui uma coleção de camisetas customizadas, inspiradas na toy art.

Chiquita Bacana: A Chiquita Bacana é uma grife de roupas femininas inspirada na mulher contemporânea, que busca o conforto e versatilidade no seu dia a dia sem abrir mão das tendências da estação. A coleção outono/inverno da Chiquita Bacana está muito linda, com vários vestidos, blusas, casaquinhos, jandineiras, misturando viscolycra, jérsey, tule e paetês, ideal para os dias mais amenos de outono ou então para combinar com casacos de lã, trench-coats e botas nos dias de inverno mais intenso.

Lulu: Confecção exclusiva e super feminina. A marca de saias, bonés, bolsas e blusinhas trabalha com tecidos leves e renda. Durante o bazar, as boininhas estarão com preços especiais!

Malagueta: O inverno da Malagueta vem quente! Com as cores da estação, nos mais exclusivos modelos. Peças únicas para mulheres únicas!

Espaço Boho: Neste bazar a marca estará lançando a coleção Out – Inv de 2008. Serão encontrados vários modelos de vestidos, blusas e casaquinhos. Também serão lançados os modelos de casacos 3/4 em lã. Tudo nos tons da estação, com estampas diferenciadas e muito xadrez. Além das peças criadas pelas gurias, o espaço também traz peças em malha, casacos de lã, blusas de lurex, entre outros.   

E ainda vai ter a estréia no bazar da Umparaum Customização, marca do artista Leopoldo Costanzo F. e prato cheio para quem quiser dar uma cara nova a um par de tênis, bolsa ou camiseta. Sem falar na degustação das famosas cachaças Chica!

Dia: 09 de agosto (sábado)
Hora: 15h às 20h
Local: Pó de Estrela – Rua Alberto Torres, 228 – Cidade Baixa

Cinemoda: La Belle de Jour

E no mesmo sábado também vai rolar no StudioClio o Cinemoda: La Belle de Jour. Nessa edição a professora do curso de Design de Moda e Tecnologia da Feevale e integrante do grupo Voga Renata Fratton Noronha irá comentar o ícone Catherine Deneuve e o legado do estilista Yves Saint-Laurent através da análise do clássico ‘A Bela da Tarde’, do Buñuel. Definitivamente é um dos figurinos mais legais de todos os tempos.

Informações sobre ingressos e reservas no site do StudioClio.

The Spirit

26 Julho, 2008

Trailer do próximo filme do Frank Miller, ‘The Spirit’, inspirado nos quadrinhos do Will Eisner. A julgar pelas imagens, parece ser bem bacana, mas difilcimente deve bater a obra que é ‘Sin City’.

Clássico do Cinema em Casa (trauma para sempre)

24 Julho, 2008

Foi com surpresa que descobri que muita gente não viu um dos filmes que fizeram eu ficar acordado longas horas da minha infância, vigilante na parte inferior da beliche, esperando que o sono vencesse o terror que sentia ao lembrar de cada cena vista horas antes, no saudoso Cinema em Casa do SBT. Assistindo a partes do filme no Youtube, percebi que a tosqueira cinematográfica pouco importa quando homens armados usando máscaras de Papai Noel, de pato, de gato e de rato (nenhum critério) seqüestram uma turma de alunos e sua professorinha no interior da Austrália.

Algumas cenas de ‘A Fortaleza’ (Fortress, 1986) fazem parte daquele grupo de imagens televisivas que não esqueço nunca por achar que foram fortes demais para minha idade. Junto delas com certeza está a autópsia do ET de Roswell que passou no Fantástico e os filmes de palhaços assassinos que passavam no Cine Trash com apresentação do Zé do Caixão.

Há poucos dias a Duda (minha sobrinha) não queria entrar no quarto dela temendo o mascarado do Pânico. Não tive muito o que falar, porque lembro como funciona a lógica do medo infantil: tu ouve todo mundo dizendo que não há a menor chance daquilo acontecer, percebe que os argumentos são fortes e que realmente tudo é uma bobagem, mas por garantia não fica sozinho em lugar nenhum por uns seis meses… (sei que aconteceu com vocês também, provavelmente com filmes diferentes)

Sobre o filme acima? Depois de colocar todo mundo num furgão, matar um velhinho fazendeiro, torturar psicologicamente as crianças e tentar estuprar uma jovenzinha, os criminosos se descuidam e permitem a fuga da turminha até uma montanha cavernosa. Lá, as vítimas erguem a tal fortaleza, fazem lanças afiadas e matam os bandidos com requintes de crueldade (sério!).

No mais, acho que a TV vespertina largou dessa onda de filmes apavorantes (pra que também, né?) e decidiu colocar o Datena e similares no lugar. Ainda bem que não peguei a fase “teu pai pode te jogar do nono andar do prédio”, que é bem mais complicado.

Natalie Portman em Bollywood

22 Julho, 2008

Pelo menos no clipe da música ‘Carmensita’, do namorado da moça, Devendra Banhart. Legalzinho, mas definitivamente não ganha disso.